sexta-feira, 27 de agosto de 2010

PROGRAMA ELEITORAL GRATUÍTO


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Perguntas idiotas, respostas cretinas

Que time é teu?

O adversário quer que você diga o nome de um time. Quando você responder "Figueirense" (ou qualquer time inferior), ele vai rir e dizer para todo mundo que o time inteiro do Avaí "te meteu". Conseguiu entender a relação entre "time é teu" e "te meteu"? Sim, a pronúncia deixa tudo muito confuso. Mas há uma saída. Basta você responder: "Bateu na trave entrou no teu". Normalmente, os outros colegas que estão por perto e ouvem isso chegam a urrar para saudar a inteligência da resposta. Agora você terá direito de bater no garoto mais bobo do grupo.


Você está num navio com seu cachorrinho chamado Nabunda. O barco afunda. Você leva Nabunda ou deixa Nabunda?

Aqui, seu colega acha que te encurralou bonito. Não há escapatória! Você vai acabar dizendo que leva ou deixa na bunda. No momento de angústia, você pode até dizer que "leva Nabunda" pensando que levar é melhor que deixar, já que quem deixa está gostando. Mas calma, aí! Há um jeito de sair por cima! A resposta certa é "Nabunda nada". Diga essa frase com calma, explicando que o cachorro é inteligente e sabe nadar. O resto da turma vai ter certeza de que você é o cara mais esperto entre eles e você terá, automaticamente, autorização para pegar a irmã de qualquer um deles.

Qual é o aumentativo de dacueba?

A palavra "dacueba" não existe em dicionário nenhum. Trata-se apenas de um jeito sórdido de tentar você falar "dacuebão", que soaria como "dar cu é bom". Assim que você falar isso, todas as outras respostas inteligentes que você deu antes irão por água abaixo. Mas, calma. Tudo vai dar certo. O primeiro método de evitar o golpe é dizer"dacuebaço". Mas existe ainda um contra-golpe. Ao ouvir o desafio,faça uma cara confusa e murmure algo propositalmente incompreensível,e num tom de voz abaixo do audível. Algo como "toviassu". Quando seu oponente perguntar "o quê?", diga em alto e bom tom: "Todo ***** é surdo!"'. Será a glória. Seu prestígio entre a galera está cada vez mais sólido. Seus amigos sempre vão te escolher entre os primeiros na hora de formar um time para jogar uma pelada. Jamais vai ser barrado no primeiro jogo, para fazer a de fora. E mesmo quando você jogar mal,ninguém vai te dar esporro. Obs.: Esse processo serve também para o caso do "pirueba" e suas variações.

Meu pai está pensando em fazer um churrasco. Com 30 quilos de carne dá pra 20 comer?

Cuidado! Esta é perigosa ao extremo. O malandro à sua frente quer que você pense" Se cada pessoa come menos de um quilo de carne, 30 quilos são o bastante para 20 comerem ". Aí você responde" sim "e vira um otário. Na verdade, ele está perguntando "Com 30 quilos de carne dá para vim te comer?" Sim, há um erro gramatical nessa frase, pois o certo seria "vir te comer". Mas ninguém vai ligar para isso quando você disser "dá, sim!". Então jamais diga isso, nem acene a cabeça que sim. Diga "Acho que não. Mas também não sou bom de contas. Como você, certo?" O cara vai ficar confuso e vai acabar dizendo "certo". Nesse caso, foi você que o fez de trouxa. Perceba que sua última frase pode ser interpretada como "Eu como você, certo?". Se seus colegas não perceberem, chame a atenção para o fato. Você é quem manda agora. Quando aquela gordinha que todos seus vizinhos pegaram aparecer grávida, todos vão livrar sua cara. Mesmo que pelos cálculos você seja o mais suspeito de ser o pai da criança, seus amigos vão dizer que o filho pode ser de qualquer um deles, menos seu.

Você chegou há pouco de fora?

Outra pegadinha fonética. Não se engane ao ouvir isso assim que tiver chegado a uma festa. O inimigo não quer saber se você acabou de chegar da rua. Ele está perguntando mesmo é se "você chegou a pôr o cu de fora?". Também temos um jeito para te livrar desta. Primeiro responda "Não", de um jeito bem surpreso, como se fosse impossível essa hipótese. Depois pergunte "Você está louco hoje?". Se você, não percebeu, você está perguntando se ele "estalou o cu hoje". Ele vai ser pego desprevenido e vai pensar por instantes em como responder a esse truque. Na verdade, não há como ele se enrolar, pois ele jamais responderia "estalei". Mas a coisa é tão simples que ele vai suspeitar que a resposta mais óbvia seja um jeito de ser sacaneado. Aproveite os breves segundos de indecisão e diga algo como "não lembra mais, né?''. É bobo, mas nesse ponto o cara já está fragilizado por você não ter caído na gracinha dele e o resto da galera vai aproveitar e sacaneá-lo também. Afinal, você já se tornou o cara mais maneiro do grupo. Você já não paga nenhuma cerveja que bebe com os amigos, pois ninguém acha justo te cobrar a dívida.

Qual o nome do carro do Speedy Racer?

Este pode ser um teste de fogo. Speedy Racer é um desenho japonês antigo, que fez muito sucesso e foi recentemente reprisado na TV aberta em algum horário obscuro. Se alguém lhe fez esta pergunta, é porque sabe que você é ligado em televisão e em suas navegadas pela internet ou assistindo a programas de tarde na TV já ficou sabendo o nome do carro. A tentação de provar seu conhecimento vai ser enorme, mas jamais, jamais mesmo, responda "Match 5". O nome do carro de Speedy Racer é a senha para o seu rival dizer "Mete cinco? Então toma!" ·e enfiar cinco dedos entre suas nádegas. Além da desagradável sensação (ainda mais se você estiver usando calça de moletom), você voltará a ser o mais mané da turma, pois todo seu currículo não resistirá a um tropeço duplo. Você terá sido agredido no plano das palavras e no plano físico. Há uma forma de tentar sair por cima dessa. É uma manobra difícil e vai depender de seu talento performático. Diga "Não sei. Era Trovão Azul?". Estamos supondo que como o cara sabe o nome do carro do Speedy Racer, também é um aficionado pelo gênero. Dizer que não sabe o nome do veículo do ás do volante e ainda confundir com o nome do helicóptero de outro seriado de TV vai tirar o sujeito do sério. Ele vai abrir a guarda e exclamar: "Não! Match 5!''. Nesse momento diga" O quê? Meter cinco? É pra já!"e rapidamente insira seus dedos na direção do orifício anal do rapaz. A humilhação será dantesca e ele nunca mais se atreverá a tentar lhe passar a perna. Não é necessário dizer que você é agora o maior herói de todos seus amigos. Você não precisa mais fazer faculdade. Deixe que todos seus colegas estudem, tirem diploma, montem seus escritórios ou suas próprias empresas. Eles com certeza vão te chamar para ser seu" homem de confiança ", o" seu braço direito''. Vão achar que um homem como você não precisa de estudos e que aliás você era muito inteligente para se sujeitar ao esquema retrógrado que rege as faculdades. E aí seus velhos amigos vão brigar para te ter como assessor. Escolha o camarada que lhe oferecer o melhor salário e a secretária mais gostosa.

Neste calor, como sua a bunda, né?

Calma, rapaz. Sua cueca pode até encharcar no verão, mas não concorde com seu colega. Na verdade, ele está dizendo "como a sua bunda". É um truque fonético muito primário, mas eficaz. Dizer simplesmente "não", já lhe evita um constrangimento diante da sua turminha, mas há um jeito de soar mais esperto que seu oponente. Disfarce e diga: "com um calor assim, você deve preferir ficar num lugar aberto, com pouca roupa, uma chuvinha em cima..." Quando seu amiguinho concordar, você já inverteu o jogo. Perceba que na última oração, você também usou um subterfúgio fonético para dizer "um macho vinha em cima", insinuando que um homem viria por cima dele, situação com a qual ele concordou. Pronto, você acaba de deixar de ser o mais idiota da galera. As pessoas vão pensar duas vezes antes de botar o pé na frente quando você passar.

Você sabe fazer vitamina?

Não queira se gabar de seus dotes. No momento em que você responder que sim, seu adversário irá dizer "Então bate uma pra mim com mamão". Você talvez não entenderia quando todos os seus amigos começassem a rir da sua cara. Veja, bem. O espertinho acabou de lhe dar uma rasteira fonética, aproveitando a semelhança desta frase ingênua com outra bem maliciosa: "Então bate uma pra mim com uma mão", que seria o mesmo que "Masturbe-me usando uma de suas mãos". Horrível, não? Então quando o canalha lhe perguntar isso, responda "Não, mas posso te preparar uma banana. Pica pra você?". Pego de surpresa, ele ficará com medo de dizer que quer uma banana inteira (que poderia ter utilidades anais) e preferirá a fruta picada. Com isso, ele terá aceitado uma pica, que é sinônimo de pênis no linguajar chulo. Assim, você ganhou muito respeito entre a garotada. Eles nem vão mais implicar com o fato de você ser viciado em RPG.

Você tem dado em casa?

Como jogador de RPG, ainda periga você dizer que tem dado de quatro, se referindo ao número de faces da peça. Se fizer isso, é melhor mudar de cidade. Na verdade, o bastardo está perguntando se você tem sido sodomizado em seu próprio lar, já que o verbo "dar", no imaginário popular, geralmente é usado para o ato de oferecer o ânus ou a vagina. Pois é, você teria confessado algo que nunca fez. Vamos tentar colocar seu adversário na posição de vítima. Diga assim: "Não. Mas posso passar de bicicleta rapidinho na sua casa para ver se tem lá. O problema é que tenho que encher o pneu. Não vi posto nenhum na frente de sua casa. Por acaso tem posto atrás?". Se ele disser "sim" ou mesmo um "mais ou menos", você está feito. Como? Ele acabou de dizer que tem "posto atrás", ou seja, que tem "introduzido algo em seu rifícioanal". Você acabou de derrotá-lo. Seus amigos já não vão mais rir tanto quando você declarar que gostou do refrão da música das meninas do Rouge.

A que horas que o sol caminha melhor?

Como você é uma criatura ingênua e cooperativa, deve querer passar por cima da aparente falta de sentido da frase que seu colega lhe formulou. Com toda sua boa vontade, vai achar que ele simplesmente perguntou, de forma errônea, a que horas é mais apropriado caminhar sob o sol. Tolo. Na verdade, seu inimigo está usando mais um truque fonético para perguntar "A que horas soco a minha melhor?". Levando em consideração que o verbo "socar" tem conotação sexual, no sentido de "penetrar com força em estocadas regulares", qualquer resposta sua com informação sobre horários será interpretada como uma dica para o momento em que seu adversário pode sodomizá-lo com mais facilidade. Para mudar drasticamente esse quadro humilhante, aproveite a situação. Olhe para seu relógio, finja que vai lhe dar um horário e, subitamente, diga: "Sabe de uma coisa? Quero vender meu relógio. Sessenta no meu, rola?". Mesmo se não estiver interessando em comprar, a tendência é que o canalha diga "sim", só para dar prosseguimento à tentativa dele de zombar de você. Mas na hora em que ele concordou com a oferta, o sujeito já estará sendo alvo de risos. Não entendeu? É que você perguntou a ele "Se senta no meu?", ou seja, "você repousaria as nádegas em meu pênis?". Agora suas opiniões já são plenamente respeitadas pelo grupo. Você não será mais reprimido quando mencionar algum defeito naquela menina que todo mundo acha sensacional.

Bonita sua camisa! Linho fio grosso?

Que bom! Alguém finalmente reparou em sua camisa de linho grosso, não? Acorde, bobão. O pulha está mesmo lhe perguntando "Lhe enfio o grosso?", que significaria "Introduzo meu membro de grande calibre em seu ânus?". Não fique assustado. Há como dar continuidade à construção de sua nova imagem. Você pode dizer algo como "Acho que não, mas se eu usar força rasgo a sua" ou partir para algo mais complexo. Diga: "Por falar em moda, reparei que seu pé é grande. Bota em você não aperta, não?". Achando que ter pé grande significa ser dotado de avantajadas proporções penianas, seu adversário concordará. Você não deve ter percebido, mas passou a perna no coitado, perguntando "Botar em você não aperta?", ou seja, "Introduzir um membrosexual em você dá a sensação de aperto no agente ativo da relação?". É, companheiro. Chega de ser ridicularizado quando sua mãe lhe obrigar a sair com um guarda-chuva em tempo nublado. Seus amiguinhos vão lhe achar um rapaz precavido, em vez de um idiota obediente.

Há um índio sentado na floresta e outro sentado no asfalto. Qual deles tem terra na bunda?

Não se trata de um simples teste de lógica. A pergunta de seu colega tem fins obscenos. Ela significa "Qual deles te enterra na bunda", uma forma marota de perguntar "Qual deles introduz o pênis profundamente entre suas nádegas?". Chato cair nessa, não? O primeiro passo é dizer "nenhum deles". Feito isso, aproveita o tema "bunda" e diga "Por falar nisso, qual é a bunda mais virgem do mundo?". Quando ele disser que não sabe, puxe a onda de risos coletivos dizendo "Ah! Então você não garante que é a sua, ein?". É bobinha, mas funciona. Ainda mais com o prestígio que você tem agora, deixando de ser sacaneado por ser o único virgem da turma (seus amigos agora dizem que sua virgindade é decorrente de seu elevado grau de exigência).

Fala com meu pau na goela!

Não há nenhuma zombaria escondida na frase. Ela está mesmo escancarada. Seu inimigo lhe pôs numa situação imaginária na qual qualquer coisa que você disser dará a entender que você realmente estaria pronunciando algo com o pênis dele lhe tocando a garganta por dentro. É sim uma idiotice, mas a brincadeira é muito difundida em certas partes do país. Também não adianta ficar quieto, pois seu adversário diria "Engasgou, né?". A melhor saída é inverter o jogo com uma rima simples, que dá a impressão de agilidade mental. Diga apenas "Sua mãe chegou, passo pra ela!". Seus colegas não vão ligar para a possibilidade de você ter falado com o pênis do indivíduo na boca, e sim com o fato de, nesse bizarro universo hipotético, a mãe dele ter ficado com o membro entre os lábios. Essa jogada é mais um item em seu glorioso currículo. Ninguém mais se lembra das vezes em que você apanhou de coleguinhas que estavam uma série abaixo da sua na escola.

Quer ir a uma festa? Mas é a Festa do Cu e do Pau. Qual você leva?

É uma pergunta difícil. Se você disser que leva "o pau", numa ingênua tentativa de afirmar sua masculinidade, seu oponente irá bradar "Ah! Você leva pau, né?", sugerindo que você costuma receber pênis em suas entranhas. Se você disser que leva "o cu", ele o chamará de homossexual, insinuando que você quer usá-lo de forma passiva na tal festa. Uma boa forma de tirar o corpo fora e ainda abater seu inimigo é dizer: "Vou levar seu cu, para lhe fazer companhia". Mais risos gerais para laurear sua incrível ascensão social. Lembre-se que você é praticamente um mito e não precisa mais esconder que não sabe dançar nem dirigir.

Se eu vendesse antenas, por apenas R$ 100 você levaria uma montada?

Opa, opa, opa! Muito cuidado. Não aceite essa oferta. O biltre está querendo ludibriá-lo. A verdadeira intenção da frase é perguntar se você aceitaria, por apenas R$ 100, ser penetrado. Sim, pois repare que "levar uma montada" é a forma como algumas pessoas se referem ao ato de se submeter à posição passiva numa cópula. Vamos tirá-lo dessa enrascada. Diga assim: "Não, mas poderíamos ser sócios nesse negócio. Para juntarmos dois mil, é só ter mil meu com mil teu, certo?". Ele dirá "sim" e você terá enganado o trouxa com uma complexa ilusão fonética. Repare que a expressão "com mil teu" equivale acusticamente à "comi o teu", que por sua vez será compreendida por todos como uma declaração confirmada de que você "introduziu o pênis (comeu) no reto do paspalho". Não tem mais volta. Você é definitivamente o rapaz mais comentado da região, por sua esperteza e bom-humor. É hora de converter essa fama a seu favor, seja para ganhar dinheiro, vendendo conselhos e dicas à molecada, seja para benefícios sexuais ou sentimentais, com as mocinhas que o esnobavam antigamente.

Você pinta como eu pinto?

Essa pergunta é bem velha, do tempo em que chamavam os órgãos sexuais masculinos de pinto. Mas ainda há vítimas para ela. Preste atenção na hora de responder. Na verdade, seu amigo está tentando ludibria-lo, perguntando se você brinca com o pênis dele. O truque está na semelhança fonética com a frase "Você pinta com o meu pinto?". A resposta é simples: "Não. Não pinto com broxa". Desse modo você nega que usa o pênis dele e ainda insinua que ele não tem vigor sexual. Como? Reparem que broxa, além de ser aquele instrumento usado por pintores de parede é também um dos sinônimos para impotente. Pode usar sem problemas. É muito eficaz. Seus amigos vão ficar tão admirados contigo que jamais vão marcar um encontro para um dia que você não puder comparecer.

Jacaré sabe andar em terrenos alagados. Mas, jacaré no seco anda?

Opa! Calma lá, rapaz. Esta é uma brincadeira da velha geração e é bem possível que seu pai já tenha sido vítima dela. Não fale "sim", pois o adversário está lhe perguntando, disfarçadamente, se um "jacaré no seu cu anda". Ao confirmar, você dará a impressão de que é um homossexual, daqueles que deixam até um jacaré andar em seu ânus. Seja frio e responda "jacaré não entra". Rapidamente, pergunte ao seu colega "em buraco de toupeira, tatu caminha dentro?". O espertinho vai dizer que sim, sem perceber que você perguntou "está tu com a minha dentro", uma forma maliciosa de questionar se seu pênis está dentro do indivíduo. Depois de inverter o jogo de maneira tão genial, seus amiguinhos vão passar a respeitar mais seu juízo, deixando de zombar de você caso use roupas estranhas que sua tia lhe deu de aniversário.

Quem nasce em Pernambuco é pernambucano. E quem nasce em Tilambuco?

Fique alerta quanto ao perigo dessa cidade imaginária. Sim, ela não existe. Foi criada apenas para que você responda "Tilambucano", que soaria como "Te lambo o cano" e lhe faria passar por homossexual, pois cano pode ser encarado como "pênis". A melhor resposta seria dizer "tilambucuano" ou mesmo "tilambucuense". Um contragolpe a ser analisado é a resposta "tilambucuzão", que insinuaria que o inimigo está sendo tocado no ânus. É claro que não seria nada agradável passar a língua no ânus de um rival do sexo masculino, mas é uma forma de fazer uma referência à disponibilidade de seu orifício, o que é sempre humilhante.

Na sua casa, qual é a melhor comida?

A do seu pai ou da sua mãe?Antes de pôr tudo a perder exaltando as habilidades culinárias de sua mãe, perceba que o inimigo está querendo fazer com que você diga que sua mãe é "uma boa comida", ou seja, que você estaria indicando sua mãe para que todos a possuíssem. Ou pior, que seu pai seria uma boa dica para uma "comida". Respire fundo e com calma diga "Lá em casa sou eu que faço a comida. Mas não sou muito bom. Vou chamar a sua mãe para ver se eu cozinho melhor". Talvez você não tenha percebido, mas na última frase você disse, num truque fonético, "vou chamar a sua mãe para ver seu ******* melhor". Parabéns, você deu a volta por cima zombando da mãe do canalha. Se quiser dar um golpe de misericórdia, continue dizendo "Quando ela vier, posso lavar a louça. Mas se lavo, não cozinho. Se eu cozinho, não lavo". Veja que você disse "Seu ******* não lavo", dando a entender que depois do serviço feito, ainda deixaria o ânus da pobre senhora sujo. Depois dessa sensacional tirada, seus amigos sempre vão consulta-lo antes de decidir que filme irão ver em grupo, acabando com aquela fase em que todos iam juntos ver um longa que você já tinha visto.

Você gosta de verdura?

Pobre daquele que disser que sim, achando que está sendo consultado sobre suas preferências gastronômicas. Perceba, pobre tolo, que o inimigo está perguntando se você gosta de "ver dura", ou seja, se você aprecia vislumbrar um pênis em estado de ereção. Há uma forma de evitar tal zombaria e ainda inverter o jogo a seu favor. Veja bem. O primeiro passo é frear o instinto e não dizer "sim". Também não diga "não", pois o inimigo pode dizer "ah! Você gosta então é de ver mole, hein? Pra depois fazer ela ficar dura!". É uma bobeira, é verdade. Mas as pessoas não se importam muito com isso quando estão dispostas a rir de alguém. Então aproveite esse clima de predisposição para a aceitação de frases idiotas e diga "Só gosto do quiabo cru da sua mãe". Todos irão se esbaldar ao ouvir algo parecido com "que abro o cu da sua mãe". É rapaz. As coisas estão cada vez melhores para você. Todo mundo agora acha você uma pessoa que sabe exatamente o que é engraçado ou não. Eles vão até achar hilário quando você usar um bordão de um personagem de novela ou de reality-show.

Você na sua casa tem tomada atrás do sofá?

Não se trata apenas de uma frase mal construída. É também uma frase mal-intencionada. Seu adversário está querendo que você diga que você tem sido penetrado analmente atrás de um estofado de seu lar. Ainda não percebeu como? "Você na sua casa tem tomado atrás do sofá?". Isso é o que ele quis dizer, garoto. Viu como é fácil ser enganado? Mas não se aflija. Basta dizer, em tom enérgico: "Por quê? Você mexe com força?". Com isso você terá criado uma frase de duplo sentido, na qual pergunta se ele exerce uma profissão como a de eletricista e também se ele, ao ser possuído sexualmente, agita os quadris com vigor. Se em meio aos risos de seus colegas, o bastardo ainda ensaiar uma reação com um desesperado "E se você fosse eletricista? Mexeria com força?",espere um momento, deixe o silêncio tomar conta do ambiente e diga "Só em fio grosso". Suas palavras soarão como "só enfio o grosso". Pronto. Mais um brilhante episódio de sua ascensão ao posto de líder da turma. Todas as novas bandas de região vão te chamar para integrar o grupo, nem que seja para ajudar na letra ou tocar pandeirola.

É verdade que você não gosta de tomar café expresso?

Cuidado. Se você fosse um idiota sem acesso a nossa orientação, o desfecho do diálogo seria assim: - "Por quê?" - "Porque no coador é melhor" (tradução: porque no cu, a dor é melhor) Temos um jeito para tirá-lo dessa enrascada, supondo que você esteja sentado relaxadamente em algum lugar. Mas é preciso certo talento teatral. Faça cara de dúvida e peça um tempo para pensar. Levante-se e, com a mão no queixo (como se estivesse decidindo se gosta ou não de café expresso), conduza naturalmente seu inimigo para o local onde você estava sentado antes. Ao ver que o oponente sentou ali na vaga que você ocupava, faça uma expressão de espanto e, com um sorriso malicioso no canto da boca, diga: "Mal saí e você sentou na minha levantada!". Seus colegas vão entender a frase como se significasse que seu inimigo sentou em seu membro ereto (a minha levantada = meu pênis em riste). Em meio aos urros e gargalhadas de seus amiguinhos, perceba que o futuro será bem mais seguro de agora em diante, rapaz. Não precisa se preocupar em estudar nem mesmo em trabalhar de verdade. Diga a todos que você está entrando para o ramo de Relações Públicas, Hostess e afins. Como você é agora uma lenda viva na região, todos os organizadores de festas pagarão para que você divulgue ou diga que irá a seus eventos sociais, nem que seja só para ficar na porta no início de cada festejo. Dinheiro fácil!

Quando algo te incomodar, sente e pense na melhor solução

Material de Campanha - LAURO PADILHA 43345



quinta-feira, 19 de agosto de 2010

TIPOS DE SOGRA

SOGRA TRANQUILA

Nome Cientifico: Sogronis nadelas
sogra1 Uma espécie bem resolvida. Deixa o filhote livre para namorar
sem fazer perguntas. E ainda serve chá com biscoitos quando
a(o) conhece. Migra varias vezes por ano, deixando a casa liberada.

SOGRA JARARACA

Nome Cientifico
: Sogronis peçonhentus
sogra2
Essa é um perigo. Sua lingua venenosa acaba com as tentativas
de namoro do filhote; o tipo mais comum.

SOGRA QUERIDA

sogra3
Nome Cientifico
: Sogronis simpaticcus
Espécie amorosa, que adota as namoradas(os), escuta seus
problemas e torce pelo namoro.
Rara e em extinçao, quem captura não solta.

SOGRA INTROMETIDA

sogra4
Nome Cientifico
: Sogronis enxeridis
Se mete quando voce menos espera e adora elogiar a ex-namorada(o)
dele(a). Vence sua presa no cansaço. Costuma ir morar com o filhote
quando ele(a) se casa.

SOGRA DUPLA FACE

sogra5
Nome Cientifico
: Sogronis falsidis
Faz a linha fina, mas na real quer puxar seu tapete. Nunca faz nada
contra você perto do filhão (ona) para que ele(a) não acredite nas suas
reclamações.
Dê presentes ou arrume um macho para ela voltar a reproduzir.
SOGRA FASHION
sogra6
Nome Cientifico
: Sogronis modernetes
Ela não quer saber quem é você, mas o que você veste.
Se você for básica(o), já era. Para ela, nora ideal usa scarpin com
meia, customiza o uniforme e faz artesanato com o copo de requeijão.
SOGRA TRABALHADORA
sogra7
Nome Cientifico
: Sogronis workaholic
Ela tem três empregos, faz hidroginastica, adora levar trabalho pra casa e
quando você aparece te põe para trabalhar. Para ela, nora ideal tem
que fazer tudo o que ela faz e ainda estar sempre sexy e bem-humorada.
Para o filhote dela isso é o mínimo.
SOGRA IDEAL
sogra8
Nome Cientifico
: Sogronis defuntus

Falo hoje sobre o amor

"O amor não é algo que te faz sair do chão e te transporta para lugares nunca vistos. 
O nome disso é avião. 
O amor é outra coisa. 


"O amor não é uma coisa que escondes dentro de ti e não mostras para ninguém.
Isso se chama vibrador tailandês de três velocidades.
O amor é outra coisa."


"O amor não é uma coisa que te faz perder a respiração e a fala. 
O nome disso é bronquite asmática. 
O amor é outra coisa."


"O amor não é uma coisa que chega de repente e te transforma em refém. 
Isso se chama seqüestrador. 
O amor é outra coisa."


"O amor não é uma coisa que voa alto no céu e deixa sua marca por onde passa.
Isso se chama pombo com caganeira. 
O amor é outra coisa." 


"O amor não é uma coisa que tu podes prender ou botar 
pra fora de casa quando bem entender. Isso se chama cachorro. 
O amor é outra coisa."


"O amor não é uma coisa que lançou uma luz sobre ti, te levou 
pra ver estrelas e te trouxe de volta com algo dele dentro de ti. 
Isso se chama alienígena. O amor é outra coisa." 


"O amor não é uma coisa que desapareceu e que,

se encontrado, poderia mudar o que está diante de ti.

Isso se chama controle remoto de TV. 
O amor é outra coisa."
 


O amor é como capim...
A gente planta...
Ele cresce...
...e ai vem uma vaca e acaba com tudo!

 
"O amor não é algo que explode por dentro.
O nome disso é Bin Laden meditando.
O amor é outra coisa."
 

                  ♥"Me joga no Google, me chama de pesquisa, 
                  e diz que eu sou tudo o que você procurava!"♥

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Placa colocada por moradores de Barro Preto-Ventania -PR

nevivonemmrte

Eleições 2010: Photoshop neles!

O USO DE RECURSOS DIGITAIS NO MUNDO DA POLÍTICA

 

Um dos fatores determinantes de um candidato a qualquer cargo público nos dias atuais é a aparência, e quanto melhor ela ficar, mais diferença fará sobre o opositor. Alguns elementos são essenciais para tais melhoras no visual, como recursos fotográficos e digitais - o famoso Photoshop. Nas eleições de 2010, temos grandes exemplos de como esses recursos são bem explorados. Com a ajuda da tecnologia, maquiagem e de bons assessores, os candidatos procuram literalmente sair bem na foto.

O uso do Photoshop para vender um produto ou ideia é tão discutível, que um projeto de lei está em tramitação no Congresso Nacional. Se aprovado, a “Lei do Photoshop” exigirá que os anúncios publicitários tragam um aviso deixando claro que houve modificação na imagem do produto: “Atenção: imagem retocada para alterar a aparência física da pessoa retratada”.

Separei neste post alguns candidatos que passaram por um bom tratamento de beleza para demonstrarem boa aparência. Note que alguns tiveram imperfeições de pele retiradas, e rugas e bolsas nos olhos foram menos acentuadas.

Candidatos à Presidência da República:

 

Outros candidatos:

Praticamente não percebe-se nenhuma ruga ou marcas de expressão no rosto do candidato ao governo do Rio de Janeiro, Sergio Cabral. Bem diferente do original.

 

A candidata ao senado, Marta Suplicy, parece bem mais jovem do que da foto à direita.

 

O ex-presidente e atual candidato ao senado, Itamar Franco, forçou o Photoshop a retirar suas marcas de expressão e manchas na pele.

 

Comparação de Lula e Dilma Rousseff:

Nem o Presidente Lula escapou da famosa “photoshopada”. O interessante é que eles envelheceram, no entanto parecem bem mais jovens.

 

Charges:

 

 

A minha pergunta é: será que irão desenvolver um “Photoshop” que retoquem as ideias dos candidatos? Seria uma boa, não é?


Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/semcensura/2010/08/11/eleicoes-2010-photoshop-neles/?topo=84,2,18,,,84

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Chegou a Sleepbox no Aeroporto Charles de Gaulle em Paris

 

Como o nome indica, trata-se de uma caixa de 2m x1,40m x2,30m para ter momentos de sono tranquilo e descanso numa cidade, sem perda de tempo à procura de hotel.

Idealizada para estações de trem, aeroportos, locais públicos, e outros locais onde haja aglomerações de gente exausta.

Qualquer pessoa pode passar a noite em segurança e de forma barata, em emergência, num espaço que tem cama e está equipado com sistema de mudança automática de lençóis,  ventilação, alerta sonoro, televisão LCD incorporada, WiFi, plataforma para um computador portátil e fones recarregáveis.

Há um espaço para as malas.

O pagamento é feito em terminais, que dão ao cliente a chave (eletrônica) desde 15 minutos até várias horas.


sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Crescendo II - A Missão


 

Ultraje a Rigor (Composição: By Roger)

Não se preocupe em crescer
De qualquer jeito você vai crescer
E não se preocupe em permanecer
jovem, você vai crescer
Sem perceber, mas não vá se esquecer
De tudo aquilo que você
Queria ser

(Santa Inocência!)

Jovem, não vá se esquecer dos seus ideais
E não vá ser tudo aquilo que você criticava
E tudo aquilo que você odiava

(Santa inocência!)

Todo jovem quer mudar o mundo
Vai fundo e se acha tão profundo
E num segundo cresce e envelhece
E se esquece...
E não consegue nem mudar esse país
E não consegue ser o que ele sempre quis
E se troca por dinheiro feito uma meretriz
E não consegue nem ser feliz

(Santa inocência!)

Enquanto você é criança
Ainda é uma esperança
Em que os românticos como eu podem acreditar

(Santa inocência, santa inocência!)

Só você pode nos tirar desse círculo viciado
Quando você crescer (Se você não tiver mudado...)

(Santa inocência!)

Você vai acabar crescendo e amadurecendo
E é bom amadurecer, mas tome muito cuidado
Pra não se misturar com aqueles que já estão
Apodrecendo
Uma criança é o que você é
Que pode vir a ser o que você quiser
Dependemos de você
E quando você crescer
Nunca perca a sua essência de criança
Nunca esqueça a inocência de criança

(Santa inocência!)

Mesmo quando os inocentes
Justamente por serem diferentes
Estão sujeitos a todo tipo de injustiça
Como eu que fui acusado, por uma vigarista,
De ser corruptor de menores em Chapecó
E a mãe dessa menor, vejam só
Me pediu um automóvel pra retirar a acusação
E como sou inocente eu disse não
Porque também não sou corruptor de maiores
Aliás como corruptor seria dos piores

(Santa inocência!)

Uma coisa tão corriqueira como um suborno
Transformou-se há pouco tempo num transtorno
Por eu não querer fazer a coisa errada
E não saber ficar de boca calada
Vendo meus direitos serem usurpados
Agora vivo entre advogados

(Santa inocência!)

E como dói perder a inocência
E o pouco que me sobrava da adolescência
Eu sim fui estuprado sem vaselina
Pela mãe de uma menina em Sta. Catarina

(Santa inocência!)

Você também vai crescer mas não fique preocupado
Eu estou crescendo mas estou sempre ligado

(Santa inocência, santa inocência...!)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

O Bote Salva-Vidas que faz Água Potável

Imagine essa cena: você está em alto-mar, seu navio está afundando e você é obrigado a abandonar o navio com nada além das roupas no seu corpo. Depois de um tempo, você começa a ficar com muita, mas muita sede. O que você faz? Se você tiver um SeaKettle, não precisa fazer nada porque ele é o único bote salva-vidas que desaniliza a água do mar.
O processo começa com você enchendo um reservatório de água do mar, onde a água inicia seu processo de evaporação. A água que evapora atinge um ponto do bote e começa a condensar, enchendo quatro bolsas de água ao redor do bote com água potável! A cobertura do bote permite que as moléculas de vapor escapem, mas segura as moléculas maiores, prevenindo a contamincação das bolsas com água do mar. O bote pode produzir água suficiente para até cinco passageiros permanecerem hidratados até terminar a água do oceano (rs).
A designer Kim Hoffman conseguiu inspiração para esse projeto ouvindo histórias de pessoas que sofreram com uma extrema desidratação ou até mesmo morte quando tiveram que abandonar um navio em alto-mar. "Com água ao seu redor, eu pensei, não há maneira de isso acontence", ela diz. "Deve haver uma maneira de transformar um montante infinito de água do oceano em água potável. E foi nisso que eu foquei meus esforços".

 






Fonte: http://www.muitolegal.net/2010/08/o-bote-salva-vidas-que-faz-agua-potavel.html

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O BRASILEIRO É ASSIM

Se para chegar mais rápido, mesmo não precisando, saímos cortando pelo acostamento à direita?

Se furamos fila de banco, de cinema e de tudo o que podemos furar?

Se compramos atestado médico para faltar ao trabalho?

Se mudamos a cor da pele para ingressar na faculdade pelo sistema de cotas?

Se pedimos a nota fiscal do dobro do que pagamos para apresentar à empresa quando em viagem a serviço?

Se dentro do ônibus sentamos na cadeira do idoso ou do deficiente e fingimos não vê-lo?

Se tiramos cópia dos livros das crianças na fotocopiadora da empresa e achamos normal?

Se usamos o vale-transporte, que é para ir ao trabalho e voltar dele, para ver o nosso time no Maracanã?

Se usamos carteira de estudante falsificada para pagar meia entrada no cinema?

Se tomamos iogurte no supermercado e disfarçamos a embalagem para não pagar?

Se escondemos dinheiro de propina na meia ou na cueca para não sermos pegos no flagra?

Se superfaturamos as obras do nosso governo para levar o nosso?

Se batemos o ponto no trabalho e na "cara de pau" vamos imediatamente para o aeroporto pegar o avião e depois ainda recebemos pelo dia não trabalhado, e quando somos apanhados pela imprensa ainda tentamos justificar dizendo que estamos indo trabalhar na base?

Respondeu sim a todas as perguntas? Tem mais...

Você urina na rua, dá a volta na sua empresa, sonega, suja as praças, dirige bêbado, vota em político corrupto e está reclamando do quê?

Vamos numerar mais algumas

1. – Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
2. – Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
3. – Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
4. – Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.
5. – Fala no celular enquanto dirige.
6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
7. – Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.
8. – Viola a lei do silêncio.
9. – Dirige após consumir bebida alcoólica.
10. – Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
11. – Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
12. – Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
13. – Faz gato de luz, de água e de tv a cabo.
14. – Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado,
muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
15. – Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para
pagar menos imposto.
16. – Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do
sistema de cotas.
17. – Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede
nota fiscal de 20.
18. – Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
19. – Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
20. – Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
21. – Compra produtos piratas com a plena consciência de que são piratas.
22. – Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
23. – Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta
do ônibus, sem pagar passagem.
24. – Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
25. – Freqüenta os caça-níqueis, jogo de bingo e faz uma fezinha no
jogo de bicho.
26. – Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes,
envelopes, canetas, lápis…. como se isso não fosse roubo.
27. – Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das
empresas onde trabalha.
28. – Falsifica tudo, tudo mesmo.. só não falsifica aquilo que ainda
não foi inventado…
29. – Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal
aduaneiro pergunta o que traz na bagagem…
30. – Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

Isso tudo e outros etc..., que bem caracterizam a "lei de Gérson"

(Para quem não conhece a Lei de Gérson: A pessoa que "gosta de levar
vantagem em tudo", no sentido negativo de se aproveitar de todas as
situações em benefício próprio, sem se importar com questões éticas ou
morais. A expressão originou-se em uma propaganda, de 1976, para os
cigarros Vila Rica, na qual o meia armador Gérson da Seleção
Brasileira de Futebol era o protagonista. A propaganda dizia que esta
marca de cigarro era vantajosa por ser melhor e mais barata que as
outras, e Gérson dizia no final: «Gosto de levar vantagem em tudo,
certo? Leve vantagem você também.» (Gérson) Mais tarde, o jogador
anunciou o arrependimento de ter associado sua imagem ao reclame,
visto que qualquer comportamento pouco ético foi sendo aliado ao seu
nome nas expressões Síndrome de Gérson ou Lei de Gérson. Associa-se a
valorização e a mitificação desta "lei" ao conceito de malandragem, do
uso de pistolões em português brasileiro ou de cunhas em português
europeu. Fonte: wikipedia)

E quer que os políticos sejam honestos?

Escandaliza-se com a farra das passagens aéreas, dentre outras falcatruas?

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo!… Ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

Ou vai dizer que você nunca fez nada dessa lista? Heim?

Se repassamos milhões de reais para o MST - Movimento dos sem terra - para eles invadirem propriedades particulares e produtivas e ainda criamos um projeto para não considerá-los criminosos?

Se somos todos farinha do mesmo saco, e zoamos com a ética quando falamos bem alto que se lá estivéssemos iríamos nos "dar bem"?

VAMOS PENSAR NISTO?

 


Maquiavel

"Não existe nada mais difícil de se executar, nem de sucesso mais duvidoso ou mais perigoso, que dar início a uma nova ordem das coisas. Pois o reformador tem como inimigos todos os que ganham com a ordem antiga e conta apenas com defensores tímidos entre aqueles que ganham com a nova ordem. Parte dessa timidez vem do medo dos adversários, que têm a lei a seu favor; e parte vem da incredulidade da humanidade que não deposita muita fé em qualquer coisa nova, até que a experimente".
MAQUIAVEL, O Príncipe.

"Não há nada mais difícil como introduzir uma nova ordem de coisas."
(Maquiavel em 1502)


Campos

Para Karl Marx a ditadura do proletariado seria apenas um estágio na evolução dialética. Abolidas as classes e a propriedade privada, assistiríamos ao "fenecimento do Estado" e a floração da liberdade. Infelizmente Marx era bom filósofo, medíocre profeta e mau político.
(Roberto Campos)


"Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem; pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.

E já não podemos dizer nada."

(Eduardo Alves da Costa, no poema "No caminho com Maiakóvski")


Fonte: http://nacaofederalista.blogspot.com/2010/08/o-brasileiro-e-assim.html

Ministro do STJ acusado de vender sentenças é aposentado pelo CNJ com salário de R$ 25 mil

O ministro foi aposentado com proventos proporcionais ao que recebia enquanto exerceu o cargo, de cerca de R$ 25 mil.

O ministro afastado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina foi aposentado compulsoriamente nesta terça, 03, por unanimidade, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele é acusado de vender sentenças e de ter recebido cerca de R$ 1 milhão para beneficiar empresas do ramo do jogo com máquinas caça-níqueis.

O ministro foi aposentado com proventos proporcionais ao que recebia enquanto exerceu o cargo, de cerca de R$ 25 mil. Essa é a primeira vez que o CNJ, que existe desde 2005, aposenta um ministro de tribunal superior. Essa é a maior punição administrativa que um magistrado pode sofrer. Segundo o relator do caso, ministro Gilson Dipp, as condutas do magistrado são incompatíveis com a função exercida.

Medina ainda responde a uma ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo mesmo crime que foi julgado pelo CNJ. O inquérito sobre o caso, que entrou no Supremo em 2006, virou ação penal em novembro de 2008, quando os ministros aceitaram, em relação ao ministro, denúncias por corrupção passiva e prevaricação (quando o funcionário público faz algo em benefício próprio).

A última movimentação do processo, que está sob a relatoria do ministro Gilmar Mendes, data do último dia 29 de junho. Se Medina for considerado culpado, pode receber pena de até 13 anos de reclusão e multa. Além disso, perde a aposentadoria.

Além do ministro, a ação no Supremo conta com outros quatro réus, entre eles o irmão do ministro, o advogado Virgílio Medina, um procurador, um juiz trabalhista e o desembargador do Tribunal Regional da 2 ª Região, José Eduardo Carreira Alvim, que foi também foi aposentado hoje pelo CNJ.

Extraído de: O Povo - Agência Brasil

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sensibilidade

Em uma viagem que fiz pela Europa, aproveitei para assistir um show do U2 em Lisboa, pois gosto muito das músicas deles. Durante o show, Bono Vox (Paul David Hewson , popularmente conhecido como Bono, cantor irlandês, líder do U2, ativista pelos direitos humanos) pediu silêncio ao público e depois começou a bater palmas. Olhando para as pessoas, que estavam em silêncio, ele disse ao microfone:

"Eu quero que vocês pensem em algo. A cada batida de minhas mãos, uma
criança morre na África."

Então surgiu uma voz das arquibancadas em alto volume: "Então pára de bater palmas, filho da puta!"

domingo, 1 de agosto de 2010

Posto 13R

Hoje eu fui moderador de uma mesa redonda de um grande seminário realizado em São Paulo pela BR Distribuidora com patrocínio da Agência Nacional do Petróleo e das entidades nacionais das distribuidoras e das revendedoras de combustíveis no Brasil.

O assunto:

Programa de Moralização do setor que envolve também a secretaria, secretarias estaduais de fazenda e o ministério da justiça. Quer dizer o negócio é sério agora. Briga é briga né?

Bom. Então ali o que deu para perceber é o seguinte: os levantamentos agora em base nacional dão o seguinte quadro:

-A adulteração de combustíveis ele está dando 1 bilhão de prejuízos por dia.

-A sonegação no mesmo mercado, mais 1 bilhão.

-E outras fraudes 600 milhões.

Então, o total por enquanto, 2,6 bilhões em todo país. Eles imaginam tratar-se ai quase que uma ponta de iceberg. Até porque a economia da criminalidade não passa recibo, não é?

Então não dá para ser calculado assim, ponto a ponto. Mas já deu para perceber por exemplo que só na grande São Paulo o inventário feito o consumidor que utiliza coitado sem defesa o combustível adulterado ele está pagando só de oficina ou de manutenção corretiva do estrago do combustível no motor ele está pagando só na grande São Paulo 117 milhões de reais por ano. Sem considerar o que ele perde na km a menor do carro com o combustível adulterado. Aí não dá nem para calcular o tamanho da encrenca.

Então o que foi dito lá, é que nós temos agora a quarta onda desse mercado que entrou em regime de gandaia total. Porque a sua desregulamentação na década passada deu-se naquela base bem Brasil. Desregulamentação trapalhona. Saindo do 8 para o 800 sem passar pelo 80. Ou seja de 11 distribuidoras, passamos para 424. Sobreviveram até agora perto de 250.

E outra, com a grande clonagem de marca além da tal de bandeira branca tem agora na terceira onda, a primeira onda foi a adulteração, a segunda onda foi sone, não a primeira foi a sonegação a segunda foi a adulteração e agora a clonagem de marcas ou de bandeiras. Por exemplo. Veja que situação engraçada. O evento de hoje patrocinado pela BR distribuidora num grande hotel aqui em São Paulo tinha nos corredores os banners indicando o local do evento onde estava o auditório. Banners enormes.

 pic16044

E no auditório um baita telão com o logotipo do evento, com um banner do evento, e no crachá de cada um, está aqui na minha mão, também com mesmo banner reproduzido, que é uma foto de um posto de gasolina.

Da BR Distribuidora que é a patrocinadora do evento. No final do evento, estávamos todos nós lá. 250 executivos do setor. A imprensa estava junto. E ai a presidente da BR Distribuidora fez a seguinte pergunta ao auditório. Bom, antes de encerrar eu quero dizer para vocês o seguinte. Vocês estão aqui no evento errado. Esse evento não é da BR Distribuidora.

Reparem no crachá que vocês tem no pescoço. Reparem no banner que está aqui no auditório. Vocês estão aqui há  5 horas e não perceberam. Esse evento é da 13R.

Aí está. Bom, o auditório não sabia se sorria ou se chorava, ai todo mundo de pé aplaudiu a pegadinha. Porque nós na rua, na avenida, na estrada também viramos numa esquina ta lá a BR e entramos lá numa boa. Entregamos nossa alma para a BR. E não é BR é 13R. Que é a maior clonadora de marca do Brasil. Bom a justiça já foi em cima, a polícia já foi em cima, mais ai ela vai para liminar e continua operando.

Então nessa pegadinha se você engana os 250 principais executivos do próprio setor num evento desta natureza que durou 5 horas você carregando a clonagem no peito. Eu achei uma coisa fantástica. Inclusive me falaram assim "Joelmir você não vai espalhar esse negócio". Disse não, só vou falar no jornal 3 tempos da Band.

-O Joelmir, só para que fique claro para o ouvinte esse 13, na verdade até o ouvinte pode imaginar um B maiúsculo né, B de forma maiúsculo. O número 1 com o número 3 se juntar o 1 com o 3 forma a letra B.

-É até porque o 1 é uma barra.

-O 1 é uma barra.

-Uma barra e o 3, é ta aí.

-Você junta o 1 com o 3, forma a letra B. Aí parece que é BR. Mas na verdade é 1 3 R. 13R.

-Então se vai para o Procon ou vai para a própria BR essa reclamação de gente. Pô parei na bandeira sua lá em Santo André e entrei num pelo cano com combustível adulterado. Vocês não fiscalizam a rede? Onde que é o posto? Me dá o endereço. Vão lá é 13R.

-13R verde e amarelo.

-Não é BR. Tá certo mas você como consumidor que nem reclama, eu por exemplo já fui adulterado várias vezes e nunca fui reclamar a ninguém, não é?. Eu apenas nunca mais volto naquele posto, né? Nem numa emergência. Mas de qualquer forma eu achei engraçada a pegadinha. Ou triste a pegadinha, né?. Pegou todo mundo e eu também. E os colegas jornalista que cobriam o evento igualmente.

E lá o telão um baita clone da BR, a própria BR patrocinadora do evento e ninguém percebeu. Engraçado né?

Related Posts with Thumbnails
Pesquisa personalizada